Loading...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Na Ceagesp Setor Pescados


                                           

                                              



                                             

ALIMENTAÇÃO:são carnívoros por excelência.As espécies menores e juvenis alimentam-se de invertebrados e pequenos peixes.As maiores,além dos peixes e invertebrados,também incluem tartarugas,aves marinhas,mamíferos(tocas,leões-marinhos,golfinhos e baleias).Algumas espécies chegam a consumir carniça .Porém a maior espécie,o tubarão-baleia,alimenta-se principalmente de zooplâncton.

CURIOSIDADES:geralmente,estão disponíveis em postas frescas,congeladas,salgadas ou defumadas.Dependendo da espécie,comercializam-se: as barbatanas para consumo humano e produção de gelatina ,a pele para couro utilizado em produtos manufaturados,o fígado para produção de óleo rico em vitamina A,a carcaça para ração animal e dentes e maxila para decoração.Os gêneros citados são vivíparos ou ovovivíparos,parindo em média de 2 a 4 filhotes,porém algumas espécies parem de 10 a 50 filhotes(lambaru,canejo,tintureira,cação-martelo).
 Qualquer Qualidade de Peixes ou Frutos do Mar ,você encontra na Ceagesp, de madrugada .Todos os dias
   Menos de Sábado  para Domingo  no atacado , mas  os encontra no Varejão As Quartas, Sábados e  Domingos.
 Se for  ao atacado tem  varios fornecedores  .

O Piraputanga é parecido com o famoso e ameaçado Dourado, porém não tem a mesma fama de exímio predador. Essa macha, escura que poderia ser vista a sua calda, serve para confundir o ataque de seus predadores. Essa tática é utilizada por outros peixes e é conhecida como coloração disruptiva.


Lambari


Família Caracidae





Existem no Brasil cerca de 150 espécies de lambaris todos pequenos São conhecidos também como piaba . Alimentam-se de vegetais, pequenos peixes e insetos. Representam um dos mais importantes elos na cadeia alimentar nos rios , sendo gulosamente caçado pelas grandes espécies carnívoras como o dourado, tabarana, homem entre outros. Algumas espécies são procuradas para aquários ornamentais.



Pangácio

Pangacius Sutchi





O Pangácio é um peixe exótico que ocorre naturalmente nos rios da Ásia. Sua forma diferente, principalmente da cabeça chama atenção, o que o torna interessante e curioso para exposição. Apesar de apresentarem diferentes cores, são exemplares de uma mesma espécie.



Tilapia

Sarotherodon niloticus





Vivem em águas quentes e não e muito exigente quanto ao teor de oxigênio dissolvido na água. O crescimento dos animais está relacionado principalmente com a temperatura da água e quantidade de nutrientes. Em cativeiro se reproduzem em intervalos de seis semanas a dois meses. Alimentam-se de larvas de insetos e alimentos variados



Bagre africano

Clarias sp





Também conhecido como peixe gato, tem a capacidade de respirara ar atmosférico, o que possibilita sair da água chegando a caminhar ate 500 metros a procura de alimento.Essa alta resistência tem preocupado os estudiosos, pois com a capacidade de sair da água esta ameaçando o habitah das espécies de bagre do Brasil. Alimentam-se de peixes e invertebrados.



Mero

Epinephelus itajara





Encontrado em regiões costeiras, de fundo rochoso ou areia e entrando em águas estuarianas, escondendo-se em tocas espaçosas ou lajes, pilares de construção ou embarcações afundadas. São solitários e territoliaristas. É um peixe forte e voraz, e apesar de ser preguiçoso, é rápido em ataques curto. Atigem 2,5 m de comprimento, e se alimentam de peixes.



Garoupa

Ephineus guaza





É a espécie mais comum do gênero no sudeste do Brasil, vivem em fundos rochosos até 50 metros de profundidade dentro dos estuários. Os menores são encontrados em águas rasas e com o aumento da idade vão migrando progressivamente para águas mais fundas.



Tambaqui

Colossoma macropomum





Este bonito peixe atinge 60 cm de comprimento. Alimenta-se das frutas de diversas árvores que crescem a beira dos rios da Amazônia. Na primavera quando gordo, além de ser utilizado como alimento, fornece óleo que é usado na cozinha e na iluminação pelos ribeirinhos



Corvina

Micropogonias furnieri





Este peixe atinge cerca de 60 cm e representam um dos mais importantes pescados do litoral sudeste. Vive próxima a costa, em fundos de lama e areia, alimentado-se de organismos fundo, como crustáceo, anelidios e pequenos peixes



Ermitão

Invertebrado - Crustáceo





Este interessante tem o abdômen desprotegido( sem carapaça calcaria). Dessa forma ele o protege vivendo em conchas vazias de gastrópodes(moluscos). Quando o ermitão cresce demais sai a procura de uma concha maior, que pode ser roubada de outro ermitão.



Siri

Caliectes sp





Vive em águas salobras e salgadas, sobre fundos de areia ou lodo. Alimenta-se de animais e algas em decomposição. Durante sua vida, troca varia vezes de casca (exoesqueleto), crescendo enquanto a nova casca não endurece. A esses siris que estão entre mudas chamamos de siri mole.





Amazônia





Este tanque representa uma visão subaquática de um IGARAPE, pequeno rio que corre na Mata Amazônica. A fauna de peixes amazônicos é a maior do mundo em espécies e esse fato esta refletido aqui, nas dezenas de peixes multiformes e multicoloridos, os famosos peixinhos de aquário ou melhor ornamentais. Esses pequenos peixes já são na sua maioria criados em cativeiros, o que reduz a ameaça de extinção para muitas espécies.



Badejo

Mycteroperca rubra





Os badejos são peixes costeiros de porte médio a grande, podendo ultrapassar 1 metro de comprimento. Vivem em fundos rochosos ou arenosos, alimentando-se principalmente de peixes e crustáceos. São parentes das garoupas e como elas, escondem-se em tocas de pedras.



Café Torrado

Stegastes fucus





Esta pequena espécie é bastante comum no litoral do Brasil. Seu nome vem da cor café que o adulto apresenta. Os jovens são muito bonitos, de um azul fluorescente metálico e muito procurado pelos aquarifilistas. São muito territorialistas, mas em razão da diferenciação de dietas, jovens e adultos convivem pacificamente nos costões rochosos.



Michole

Diplectrum radiale





Tem hábitos costeiros entrando em regiões estuarianas em pronfudidades de 0 a 60 metros. Comem pequenos crustáceos e outros invertebrados. Alcançam cerca de 23 cm de comprimento.



Pirambóia

Lepidosiren paradoxa





Este verdadeiro fóssil vivo, está bastante próximo dos primeiros vertebrados a saírem da água, os anfíbios. Apresentam pulmões, respiram ar atmosférico, nadadeiras pares com disposição de patas entre outras características. Vive nas lagoas as margens dos grandes rios brasileiros. Atingem cerca de 1,5 metro de comprimento. Alimentam-se de vermes, caramujos, peixes e vegetais.



Cagados e tartarugas





A maneira como estes animais recolhem a cabeça para dentro do casco, os separam em dois grupos, se simplesmente retrair o pescoço para se defender estamos diante de uma tartaruga, mas se ao invés disso virara a cabeça escondendo-a no casco em direção a uma de suas patas estaremos diante de um cagado. Porém o nome popular desse animais variam de região para região.



Bagre

Sciadeichthys luniscutis





Vivem em águas quentes e rasas e embocaduras de rios com as praias. Chegam a atingir 1,2 m de comprimento. Sua alimentação é composta por algas, vermes, camarões, caranguejos e peixes, utilizando seus barbilhões para localizar.



Piranha

Serrasalmus sp





A piranha é uma das diversas espécies encaradas pelo homem como muito perigosas. A elas somam-se os tubarões, as moréias, barracudas entre outras. No entanto muito o que se diz dela é muito folclore. Espécies territorialistas, são agressivas somente em ocasiões especiais. É comum hoje cinegrafistas fazerem longas filmagens subaquáticas dentro de um cardume de piranha sem serem molestados. Aparentemente o grosso de sua alimentação é composto por nadadeiras de peixes e carcaças de animais.



Pingüim de Magalhães

Spheniscus magellanicus





Um total de 17 diferentes espécies de aves marinha são conhecidas como pingüins. Todas vivem o hemisfério sul em colônias, andam eretas e tem asas modificadas para natação e mergulho. Habitam diferentes ambientes, desde de uma ilha equatorial nos Galápagos até o pólo extremo do pólo sul. Apresentam comportamentos e tamanhos diferentes podem medir de 30 cm(pingüim azul a 1 metro de altura pingüim imperador)



Mandi Pintado

Pimelodus





É uma espécie solitária, que habitam grande parte dos e lagos brasileiros e gostam de se esconder em tocas de pedras ou atrás de troncos, podendo alcançar 50 cm de comprimento. Sua alimentação é a base de larvas de insetos, crustáceos, moluscos e pequenos peixes.



Pirarara

Phractocephalus meiliopterus





Um dos grandes bagres da Amazônia, podendo alcançar cerca de 1,5 m de comprimento. Alimenta-se de peixes e tem uma velocidade de crescimento espantosa. Suas cores variadas vivas fizeram com que o os índios os chamassem de peixe arara(pira = peixe).



Pintado

Pseudoplatystoma sp





Este magnífico peixe de couro é um dos gigantes dos rios da Amazônia, alcançando 1,50 m de comprimento. Sua pesca é controla pelo IBAMA devido ao abuso cometido por pescadores inconseqüentes ou desavisados, o que põem em risco a sobrevivência dessa espécie.



Peixes Ornametais





Os peixes são provavelmente os animais que apresentam a maior variedade de forma de corpo e coloridos dos vertebrados. Isto se deve ao fato de viverem nos mais diferentes ambientes aquáticos do mundo. Alias, essa variação de habitas deve ser levada em consideração quando da montagem de um aquário comunitário, entre em contato com um aquariofilista ou leia um bom livro sobre aquários, e você perceberá que não e difícil manter peixes e plantas saudáveis e bonitos.



Kingio

Carassus Auratus





Este vem sendo criado pro japoneses e chineses a cerca de 1000 anos, a sua forma selvagem tem nadadeiras curta e cor verde olivacea, mas cruzamentos planejados vem desenvolvendo diferentes cores , nadadeiras, formas de olho e corpo.



Tartaruga Verde

Chelonia Mydas





Vivem no mar. São carnívoras até um ano de idade e depois tornam-se herbívoras. Reproduzem-se no mar e põem os ovos na praia, à noite, quando a temperatura do ar e da água já não representa perigo. A eclosão acontece de 49 a 54 dias depois, conforme a temperatura da areia e da umidade para hidratação durante a fase. Os filhotes emergem da areia procurando rapidamente o mar.



Anêmona-do-Mar

Classe Antozoa





Vivem fixas em alguma superfície, podendo rastejar lentamente ou enterrar-se com seu pé discoidal. Cobertas pela água, distendem completamente o corpo e o disco oral. Expostas na maré vazante, se retraem. Pode ser macho ou fêmea, hermafroditas ou reproduzir-se por fissão. Respiram a partir de uma corrente de água constante que percorre seu corpo. Comem invertebrados e peixes, que paralisam graças aos nematocistos e levam até a boca com tentáculos, que também eliminam os restos não-digeridos. Por outro lado, servem de alimento para peixes, caranguejos, crustáceos, moluscos, estrela-do-mar e tartarugas.



Estrela-do-Mar

Classe Asteroidea





Este magnífico peixe de couro é um dos gigantes dos rios da Amazônia, alcançando 1,50 m de comprimento. Sua pesca é controla pelo IBAMA devido ao abuso cometido por pescadores inconseqüentes ou desavisados, o que põem em risco a sobrevivência dessa espécie.



Baiacu de Espinho

Diodon hystrix





Habitantes das águas de Massachussets (EUA) a São Paulo (Brasil). Preferem os fundos rochosos ou de coral. Escondem-se durante o dia em frestas e tocas e têm hábitos noturnos. Alimentam-se de crustáceos, gastrópodes e ouriços. Reproduzem-se durante todo o ano, a fêmea é perseguida pó vários machos e empurrada para a superfície onde libera os óvulos para fecundação. Os ovos são pelágicos e flutuantes. Quando tocados, os baiacus inflam e os espinhos distendem-se ficando ponteagudos.



Moréia

Família muraenidae





Vivem entre as rochas da região litorânea ou em recifes, mas algumas espécies são encontradas em águas fundas sobre a areia. Durante o dia escondem-se em buracos e fendas ou entre a vegetação marinha e saem à noite para comer. Territorialistas e agressivas, quando molestadas, estão prontas para morder. Alimentam-se de peixes, polvos, e atacam vorazmente invertebrados bentônicos. São comuns peixes com 1 m , mas podem chegar a 3,5 m.



Pacu

Família Caracidae





Habitam os rios dos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do sul e Paraná, do Paraguai e da Prata. Peixes de corpo ovolado e estreito. Onívoros, com tendência a herbívoros, sua alimentação é rica em carboidratos, pois comem frutas e vegetais das margens dos rios. Ao 5 anos, chegam à fase reprodutiva, quando, no mês de setembro, passam a ser carnívoros, alimentando-se de pequenos crustáceos, insetos e peixes mortos, pois precisam de proteínas para os gônadas, seus órgãos reprodutores.



Tubarão-Lixa

Gynglymostoma cirratum





Habitantes dos mares tropicais e subtropicais das costas americanas, do Atlântico da Carolina do Sul do Estado de são Paulo. São peixes de esqueleto cartilaginoso, com escamas especiais que lhe dão o nome de lixa. Atingem 4,5m de comprimento e diferem dos outros cações por um barbilhão carnoso curto na margem de casa abertura nasal. Têm hábitos sedentários, sendo encontrados imóveis sobre fundos arenosos de águas rasas. Apesar de não serem agressivos, não devem ser perturbados, pois sua pele é muito áspera e seus milhares de pequenos dentes fazem bastante estrago. Alimentam-se de crustáceos, ouriços, lulas e peixes pequenos. A série de dentes é trocada a cada a cada 28 dias, dependendo da temperatura da água (nas regiões mais frias ocorre a cada 50 dias). Os machos tem uma nadadeira modificada chamada clásper, com função de fecundar internamente a fêmea - tipo de fecundação rara nos peixes em geral. A fêmea chega a reproduzir de cada vez, 20 filhotes que nascem com menos de 30 cm. Os jovens apresentam machas negras espalhadas pelo corpo, que desaparecem com o crescimento.



Lagosta

Palinurus sp





Vivem nas água do litoral do Brasil até Santa Catarina e são habitantes das fendas de rochas e corais. Ficam à entrada de sua toca, A espera de estímulos o para capturar seu alimento. Carnívoras, agarram qualquer presa que passe a seu alcance ou saem para captura-la, a fêmea cola seus ovos aos pés abdominais, para protege-los até que atinjam uma fase larval mais evoluída.atingem 50cm de carapaça. Devido ao excelente sabor de sua carne, A lagosta é pescado em larga escala no litoral dos estados do Nordeste.

BADEJO


IMPORTÂNCIA:carne excelente e valorizada.Apreciada na pesca esportiva e submarina.





PESCA:linha de fundo e varas com isca de camarão em águas rasas e carretilhas



Elétricas para maiores profundidades com iscas de sardinhas,parati e camarão ; a pesca comercial usa rede de espera ou arrasto,espinhéis e linh de fundo.



CURIOSIDADES:é o badejo mais comum no litoral brasileiro.São peixes muito curiosos,observando os arredores e ''fitando'' mergulhadores.São hermafroditas protogênicos,isto é ,são todos fêmeas na primeira fase de vida,e,após certa idade ou tamanho,setornam machos.Determinados autores identificam-no como MYCTEROPERCA RUBRA,porém são necessários estudos subespecíficos para estabelecer as diferenças.






                                                

Anchovas

IMPORTÂNCIA: possui carne saborosa (há controvérsias) com bom valor comercial,muito apreciada na pesca esportiva por sua brutalidade,força,fome e saltos espetaculares,sendo considerada'' lutadora''.

CURIOSIDADES:são muito vorazes,atacando cardumes de sardinhas,manjubas cavalas,tainhas,podendo ingerir ,diariamnete,quantidade de peixe igual à metade ou até mais de duas vezes o seu próprio peso e, mesmo saciadas,continuam a atacá-los.





                                                

As Propriedades do Atum



Atum Kihada Para Temaki



                                                      FAMÍLIA:Scombridae











TAMANHO MÁXIMO:4,58 m e 684 kg











TAMANHO MÉDIO:2 m e 40 kg











IDADE MÁXIMA DESCRITA: 15 anos











DISTRIBUIÇÃO:Atlântico e Mediterrâneo.Toda a costa brasileira.











ALIMENTAÇÃO:peixes,crustáceos e cefalópodos(lulas)











IMPORTÂNCIA:carne escura excelente e valorizada.Também é apreciado para a pesca oceânica,oferecendo resistência e boa briga por períodos relativamente longos (algumas horas).











Pesca:redes de cerco,na superfície ou meia-água,e espinhéis de alto-mar.











CURIOSIDADES:carne apreciada principalmente pelos japoneses na forma de SASHIMI OU SUSHI.Demostram capacidade de manter o sangue em temperatura maiores que a da água circundante.Seu metabolismo é elevado com grande volume de sangue que,no calor, se decompõe rapidamente,podendo causar intoxicação alimentar ,por vezes fatal.











THUNNUS THYNNUS (Linnaeus, 1758)











BRASIL:atum











CHINA:yuu yui











CORÉIA:samtchi











ESPANHA:atún,magró











ESTADOS UNIDOS:northern bluefin tuna











FRANÇA:thon rouge











ITÁLIA:tonno











JAPÃO:magurô











PORTUGAL:atuarro,atum-de-revés

                                           

CURIOSIDADE:carnes apreciada principalmente por japoneses na forma de SASHIMI E SUSHI.Demonstram capacidade de manter o sangue em temperaturas maiores que a da água circundante.Seu metabolismo é elevado com grande volume de sangue que ,no calor,se decompõe rapidamente,podendo causar intoxicação alimentar,por vezes fatal.

Salmão e suas Propriedades


                                         


                                      


Salmão


Esse peixe de águas frias tem proteínas e ácido graxo ômega 3. "Essa gordura benéfica estimula a produção de hormônios que, por sua vez, favorecem o crescimento muscular", explica a nutricionista Cynthia Antonaccio. Depois do treino, monte um prato com salmão grelhado e carboidratos (uma porção de arroz ou de batatas cozidas, por exemplo). Esse cardápio vai garantir energia extra aos músculos e auxiliar na sua recuperação.



Bom para o corpo todo: vários estudos mostraram que o ômega 3 ajuda a prevenir doenças cardíacas e inflamatórias (como a artrite), além de contribuir para o tratamento de doenças degenerativas, como o mal de Alzheimer e alguns tipos de câncer.

     

Sardinhas



Sardinha crua

Quantidade 100 gramas

Água (%) 76,6

Calorias (Kcal) 114

Proteína (g) 21,1

Carboidratos(g) 0,0

Fibra Alimentar (g) n/a

Colesterol (mg) 61

Lipídios (g) 2,1

Ácido Graxo Saturado (g) 1,7

Ácido Graxo Mono insaturado (g) 0,5

Ácido Graxo Poli insaturado (g) 0,5
Print This Post qua, out 7 2009

0 Comentários .Sardinha

por: informacaonutricional







Tabela de valor Nutricional da Sardinha





Imagem: Sardinha Crua



Abaixo veja a tabela de valor nutricional





Tabela Nutricional



Sardinha crua

Quantidade 100 gramas

Água (%) 76,6

Calorias (Kcal) 114

Proteína (g) 21,1

Carboidratos(g) 0,0

Fibra Alimentar (g) n/a

Colesterol (mg) 61

Lipídios (g) 2,1

Ácido Graxo Saturado (g) 1,7

Ácido Graxo Mono insaturado (g) 0,5

Ácido Graxo Poli insaturado (g) 0,2
Cálcio (mg) 167


Fósforo (mg) 294

Ferro (mg) 1,3

Potássio (mg) 312

Sódio (mg) 60

Vitamina B1 (mg) traços

Vitamina b2 (mg) 0,07

Vitamina B6 (mg) traços

Vitamina B3 (mg)